Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 25 de julho de 2009

Casualidade ou destino?

Logo que acordei, li uma frase que me pôs a pensar:
"É importante não confundir a casualidade com destino."
Mas acredito que a linha entre ambos é bastante tênue, e depende muito no que realmente queremos acreditar e aprender com certas situações da vida. Se for interessante acreditar que é uma mera casualidade, enxergue como tal. Aja como tal. Pense como tal.
É difícil acreditar no destino quando ocorrem coisas ruins.... é mais fácil acreditar que é uma casualidade... já quando ocorre uma coisa boa, ah sim! aí sim vale apresentar tal situação como destino.
Mas afinal, a quem cabe a decisão? A perspectiva de quem decide se é ou não uma casualidade, ou destino?
Porque a vida não vem com um manual. Cabe a nós mesmos essa decisão, de nomear as coisas, de dar determinadas funções, de compreender do nosso ponto de vista. Cabe a nós mesmos acreditar ou não.
Até porque não existe início meio e fim na vida. Não, o início não é necessariamente o nascimento, o meio então nem se fala, e o fim não é a morte. Existem tantas pessoas que estão vivas e que já estão no fim, seja por opção ou por "destino". Nós temos a capacidade de mudar isso, sempre! A rota da nossa vida não é certa nem pré-determinada. Não! Temos em nós a habilidade de fazer curvas, de voltar na contra-mão, de acelerar ou reduzir o passo. Temos a habilidade de parar se quisermos.
Mas é fácil simplesmente culpar o destino. é tudo culpa do destino. Frase comum, não é?
Tente mudar essa percepção. Tente parar quando você acreditar que o destino não te permite parar por um segundo apenas. Tente voltar na contra-mão quando o destino te permitir apenas seguir adiante. Reduza, acelere, brinque com a sua vida. Vale a pena entender que você tem poder sobre si mesmo. Abrace o destino, fique ao lado dele, nunca contra. Aí sim você terá uma melhor compreensão das casualidades, do destino, do que veio fazer aqui afinal.
abraços carinhosos, sempre.

Um comentário: