Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Ficar na merda faz parte...

"As manhãs estão tristes,
as tardes soníferas,
as noites insuportáveis
e as madrugadas em claro...
só não me pergunte por que"

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Globalização

No final de uma inusitada interrupção do que seria uma excelente viagem com uma super companhia, Aninha me mostrou o seguinte som que me fez pensar no quão globalizado tudo está. Música, mundo, pessoas, cidades, gestos, palavras. Plantas e frutas estão globalizadas, meu deus!! Aço, madeira, cinema, comida. As doenças e os animais! Acho que até o ar está globalizado... affffff....
Posto aqui o som com a letra em português para vocês...
Enjoy!
Besotes chicos!

Olha quem voltou!!

Primeiramente, peço desculpas pelo sumiço. Desculpas sinceras, mas com explicações extremamente plausíveis. Mas estas ficarão meramente implícitas nas entrelinhas de maneira sutil ao longo do texto.
Não quero fazer um “fechamento” do ano desta vez. Não quero pesar absolutamente nada na balança, nem fazer planos ou metas para o novo que está por vir. Apenas me propus a uma meta: estrutura emocional. Sim, eu sei. Parece loucura. Mas é a meta mais insanamente sana que fiz até hoje, no decorrer destas 3 décadas que completei em 2010.
Desejos tenho vários, vontades mil. Confesso que durante um bate-papo com um certo alguém, consegui compreender a diferença entre vontades e metas. E foi assim que decidi que o que realmente preciso, quero e vou conseguir é estabelecer uma PUTA estrutura emocional no decorrer do meu trigésimo primeiro ano de vida.
Virar trinta foi fácil. Viver os trinta nem tanto. Está sendo um desafio pessoal, um verdadeiro processo de redescoberta, e vou além: me descobri mais do que me redescobri. E isso é fantástico. Certos preconceitos que achava ter foram quebrados de maneira radical, sem dó, sem tempo para recuperação, sem perspectiva de cura. Compreender que possuo um poder nababesco de desapego foi minha maior descoberta (não foi uma redescoberta!). Desapego material, digo. Não entrarei em detalhes emocionais – not now.
A tal calmaria e apatia que pedi para 2010 não veio. Pelo contrário, foi um ano turbulento, cheio de situações, emoções e momentos inesperados. Minha impulsividade, embora aparente aos que me rodeiam, tornou-se mais leve. Tornei-me mais introspectiva, o que facilitou E MUITO diversos processos que passei – e estou passando.
Mas agora me pergunto, a quantas andam minhas turbulências internas? Não sei se posso medir tamanha força, não sei nem se quero saber. Estou aprendendo a ser paciente. Quem diria.... quem me viu e quem me vê. Estou aprendendo que as coisas têm seu tempo, e que nem tudo deve ser na hora que eu quero, que eu acho que preciso.
Pretendo ser mais frequente por aqui em 2011. Não é meta, mas é uma vontade... espero que isso seja uma consequência da minha tal almejada estrutura emocional.
Agradeço a todos pela paciência! E mais uma vez peço desculpas pela demora!
Forte abraço.... de tirar o fôlego!

quarta-feira, 30 de junho de 2010

2 anos. com choro e risada!

Dia triste. Dia pensativo. Dia saudosita. Dia 23 de Junho. Este ano completou 2 anos, e teve aquele ritual de família de "missa de aniversário" de morte. Louco ter um aniversário de morte. Aniversário remete àquela coisa boa, de novo ano, de coisas novas, de mais um ano agregado à tua certidão, à tua identidade. Significa mais um ano de arrecadação de coisas, momentos, palavras, abraços. Já morte é o 'fim', pode até ser o início de outra coisa, mas por ser desconhecida, nos parece o fim desta arrecadação. Não há mais abraços - físicos. Enfim, a questão é que soa estranho usar aniversário e morte na mesma sentença.

Não foi um dia tão triste quanto 2 anos atrás. Nem perto. Foi um dia mais de memórias. Triste ao lembrar que é uma perda, feliz por ter passado 28 anos ao seu lado.
Mas enfim, no meio desta tal missa tive uma vontade louca de gargalhar, tive que segurar muito meu riso. Cerca de uma semana antes, estava batendo papo com um querido aqui em casa, e, conversando sobre essas situações de missa/Igreja Católica (seja missa de morte, celebração de casamento, batizado etc.), eis que o querido me diz: "Cara, no batizado de meu sobrinho, no momento em que o Padre disse 'Hosana nas alturas', a primeira imagem que me veio a cabeça foi Rosana lá no altar cantando 'COMO UMA DEUSA'".
E não é que meio da missa, quando o Padre começou 'Hosana nas alturas', f-u-d-e-u. tive que segurar o riso, e só pensava em massacrar meu querido!
A missa no final das contas foi leve. Mas saí de lá precisando bater um papo, tomar uma cerveja, pensar em outra coisa....falar besteira.
Eis que fui encontrar outro querido, e fomos parar em um boteco por alí perto mesmo.
Papo vai, papo vem, começamos a falar de cinema. O querido2 me vira e diz "Adoro Festim Diabólico...". Uma mulher, por volta de seus 50 anos, loira, em forma, e considerada por muitos como A Doida do bairro, vira-se para nós e diz "que bebida louca é essa??? Eu quero!!!". Explicamos que não era uma bebida, e sim o filme do Hitchcock. Não satisfeita, ela resolve entrar em uma verdadeira odisseia: Inventar uma bebida chamada Festim Diabólico.
"Mas tem que ter fogo. Fulano, pega lá na cozinha o álcool 96%. Vamos colocar por cima e atear fogo, e tem que virar na hora!" Será que ela não sabe que faz mal ingerir álcool assim? Tentamos avisar. Ela nem aí. queria porque queria colocar o álcool por mim para 'dar efeito'.
Ela misturou campari (sim, vermelho lembra diabólico...) e vodka, lascou álcool por cima, ateou fogo, e meteu pra dentro!!! L-O-U-C-A. Pronto, e ainda acha que essa mania vai pegar.
Em um determinado momento, havia 2 homens batendo papo em outra mesa, um dele ao celular. Ela vira e nos fala baixinho 'viu? eles estão passando a receita para amigos pelo telefone! a receita é nossa!!!! vai virar moda".
Gente, acabou que dei boas risadas neste dia. Foi um triste alegre.
Tudo o que chorei ao longo do dia, tentei igualar com risadas no início da noite.
Forte abraço!

terça-feira, 15 de junho de 2010

Sumiço parte II

Caros queridos e queridas: sei que estou sumida! Mas não se preocupem! Estou super mega bem....Não que a falta de inspiração não me incomode, mas estou "bombando" de trabalhos e não posso reclamar. Meu trabalhos interferem sim na minha inspiração, mas sei que em algum cantinho do meu pequenino cérebro, ela está lá, aguardando o momento certo para sair de lá e se transformar em algo escrito!
Nem introspectiva estou! Estou bem, feliz e tranquila. Sem grandes questionamentos, mas tampouco com grandes respostas! hahahaha
Só queria deixar um forte abraço a todos, e voltarei em breve...

quinta-feira, 10 de junho de 2010

assim-assado.

Hoje acordei meio assim-assado. Não sei dizer se estou de mau-humor, se estou apática, se estou introspectiva. Mas uma certeza tenho: não sou a melhor companhia hoje. Definitivamente, hoje não é um dia de fazer "social". Não é dia de sentar e bater papo, não é dia de sair e beber com amigo(a) (ou amigos[as]). Também não é dia de relaxar apenas. Ainda tenho 2 provas para fazer em casa, e o saco é zero. Vontade mesmo de deitar e dormir até o próximo dia com astral novo chegar.
Mas não posso fazer isso. Sabe aqueles dias em que você simplesmente não quer nada? Mas nem você mesmo você quer perto de ti? Pois é assim que hoje estou.
Sem paciência, sem saco, sem sorrisos.
Enfim, espero voltar aqui melhor amanhã.
forte abraço a todos, e desculpa meu estado de espírito. affff.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Decepção.

A decepção em uma amizade as vezes dói mais do que em um amor.
Como já disse previamente em outros posts, quando começo uma amizade que eu acho que realmente valha a pena, me dedico. E todo início de amizade é inundado de "paixão", assim como todo início de amor. É normal que a chama diminua com o passar do tempo, mas se apagar? Amizade que é amizade não é pra vida toda? Há sempre algo que nos conecta a alguém, e quando esse "algo" deixa de existir, ou passar a ser "menos importante", há 2 saídas: ou a amizade perdura para todo sempre, criando outros e novos links, outros motivos, ou simplesmente acaba. Morre. E a tal fila, anda. É uma pena, pelo menos para mim, pois eu acredito num carinho eterno dentro de uma amizade. Acredito que as ondas que nos movem não morrem. Podem existir fases menos acaloradas, menos presentes, mais apáticas, ondas podem virar marola, até uma verdadeira piscina tranquila. Mas uma hora elas voltam.
Então, quando essa "paixão" acaba, e uma das partes decide que virou piscina, a outra parte afunda.
E é assim que estou me sentindo agora. Literalmente afundada. Um tanto decepcionada, um tanto triste, um tanto nada aliviada. Como não me calo, escrevo. E isso é um desabafo.
Está doendo, e é normal. Como se fosse um estado de luto. E provavelmente aprenderei algo com isso.... seja me dedicar menos (acho praticamente impossível, é de minha essência), seja enxergar as pessoas por outro viés, seja entender que nem as amizades são para todo sempre. Pois pra mim, amigos são família, e família não morre, certo? Ainda mais a família que a gente escolhe como nossa; no caso, as amizades.
Forte abraço, e voltarei pós-provas.

sábado, 29 de maio de 2010

Conciliação x Equilíbrio.

Conciliar. Porque para haver equilíbrio, é necessário conciliar.
Sou extremista, e é estranho me ouvir dizer 'equilíbrio'. Minha vida é cheia de altos e baixos, e confesso que gosto dela assim. Apaixonada por um instante, e justo na sequência, estourada, puta da vida, raivosa e querendo me trancar no quarto. Quando entro no quarto, fico 2 minutos, e de repente, saio, coloco a primeira roupa, e vou pedalar por aí. Com música nos ouvidos, volto a sorrir novamente.
Sim, eu oscilo MUITO ao longo de uma única hora. Será isso um equilíbrio também? Acredito que sim, ué! Por que não?
Por que equilíbrio está necessariamente vinculado a estar sempre no mesmo ponto, nem bom nem mau? Por que não se pode ser extremista, volúvel, E equilibrado? Pois eu não tenho um ponto único de equilíbrio. Quando estou bem , algo me puxa (não necessariamente para baixo, mas para algum lado oposto, pois estar bem não significa estar para cima, eu acho... pode-se estar bem simplesmente por estar apático, certo? não foi exatamente isso que pedi para 2010? um ano apático, logo um ano bom?), e o melhor, quando não estou bem, algo também me puxa - para cima! Isso para mim é estar equilibrado (a).
Mas voltando ao verbo conciliar. Sim, dentro deste MEU equilíbrio (nada aureliano) acho necessário conciliar. Conciliar o estresse do trabalho com uma pedalada ou um mergulho. O estresse de provas com uma boa taça de vinho e um bom bate-papo. O estresse da ressaca com uma sessão puxadíssima de pilates (para suar tudo e poder tomar outro porre). O estresse de um mal-humor repentino com um bom-dia sorridente e simpático do trocador de ônibus. O estresse de um dia terrível, onde nada, absolutamente nada deu certo, e fazer sexo incrível no final do dia.
Sim, conciliar é importante. Essas conciliações fazem parte do meu equilíbrio.
Não sou equilibrada, sou extremista, mas sou "meio-conciliadora-dentro-do-possível" (ou seja, amo conciliações, mas não sou o fator mais importante da conciliação, sacou???).
Enfim, hoje é sábado, e nada a ver com o post, mas quero comentar, hoje terei uma tarde gastronômica aqui em casa. Adoro. E será com uma amiga querida e muito especial, que pouco vejo. Já estou prevendo que o papo não acabará tão cedo, e enquanto houver garrafas de vinho a serem abertas, ficaremos conversando, comendo, bebendo e ouvindo boa música. Por favor, que não haja verbo conciliar hoje. Deixa rolar, e curtir. Deixa para me puxar para o tal lado oposto segunda-feira, ok? Pois tenho certeza que um trocador irá "conciliar", me puxar para cima com um super belo bom dia sorridente e simpático!
Forte abraço a todos, e bom final de semana!

segunda-feira, 24 de maio de 2010

festão incrível!

Por onde começar...
Este foi um dos melhores finais de semana da minha vida. Sem exagero.
Foi uma verdadeira maratona, desafiei os limites do meu corpo, em termos de cansaço. Tudo começou na quinta-feira.
Flamengo eliminado da Libertadores, mal consegui dormir. (3 horinhas apenas).
Sexta, acordei cedo, 7am, na função de arrumar a casa para festa de sábado. Com um detalhe apenas: 13h tinha um vôo para Brasília, comemorar os 30 da minha "primeira melhor amiga". Detalhe 2: fui de surpresa! Imagina só! Fiquei escondida na casa de uma grande amiga até a hora da festa, e quando cheguei, Carolina quase infartou.
Bom, a festa foi A FESTA. Tema: terra do nunca! Sim, uma verdadeira festa de criança, só que para adultos! Decoração nota 10, cerveja que não acabava mais, caipi-coisas, frozen e afins.
Tinha: touro mecânico, cama elástica, e o melhor: tobogã!!!! Barraquinhas de algodão doce, batata frita, mini-hambúrger, mini-cachorro-quente, crepe, pastel. Foi realmente demais!!! Diversão do início ao fim!
Saí da festa 5:30 rumo ao aeroporto para voltar pro Rio a tempo de arrumar tudo que faltava, comprar o que faltava e começar a cozinhar para 30 cabeças.
Cheguei DESTRUÍDA. Nem preciso comentar, não é?
Consegui dormir outras 3 horinhas, e comecei a arrumação. Rafa querido, Fábio amado 'came to the rescue'. Sem eles não teria sido perfeito!
A festa foi tudo! Foi incrível!!!! De todos que chamei, apenas uma pessoa não veio. 99% de aprovação Dona Bia!!! Tudooooooooooo de bom!
Veio até gente de Sampa!!
Apenas pessoas queridas, música boa (que deu uma trabalheiraaaaaaaaa danada escolher o playlist), comidinha boa (modéstia a parte), torta de limão INCRÍVEL da sis, quiche da mamis, enfim, tudo, tudo, tudo perfeito.
Palmas especiais à decoração! Fábio arrasou, amado! Super obrigada!
Estou feliz, cansada porém muito feliz.
Os remanescentes foram embora 6:30am! Já viu né?
Enfim, preciso voltar pro trabalho!
Forte abraço.
ps. faltam 24h!!!!! afffff
ps.2. acordei 10am. ou seja, dormi um total de 8 horas em 3 noites!

terça-feira, 18 de maio de 2010

Mistureba bacana!

Sabe festa só de dentista? Um saco, né?
E só de advogados? e só antropólogos??? socorro....
pois minha festa será uma mistureba daquelas....
Teremos: economista, engenheiro, advogado, antropólogo (em construção e já formado), músico, químico, tradutor, ex-padre, dentista, jornalista, locutor, bailarino, artista plástico, gente da industria cinematográfica, desenhista! Gente de tudo quanto é tipo, junto e misturado! Essas são as melhores reuniões!
Uma das coisas que mais me dá prazer é juntar gente aqui em casa... seja para um almoço, um jantar, um queijos e vinhos, um sonzinho, enfim, qualquer motivo é motivo desde que haja álcool! hihihi!
Melhor ainda, é misturar gente que não se conhece... os melhores papo surgem destes encontros.
Estou super ansiosa para sábado! Será incrível!
Ai, ai, ai, será que aguento esperar 4 dias?
Hope so!
forte abraço!